< Notícias & Insights

Economia Digital Impulsionando a Jamaica

Peter Howard Wertheim e Dayse Abrantes – Jornalistas Internacionais
peter.howard@thebridge.social / dayse.abrantes@thebridge.social

Considerando a evolução tecnológica mundial, a Jamaica começou a trabalhar com o objetivo de converter-se em uma economia digital.

Para isto, as autoridades estão buscando criar oportunidades e um marco para aproveitar as novas condições produtivas.

Neste sentido, aprovou uma lei que cria um sistema de identificação nacional, reporta a publicação do Brecha Zero.

Assim, o objetivo das autoridades da Jamaica é criar um ambiente em que cada cidadão possa participar do mundo digital.

Este processo é geralmente referido como “transformação digital“, que tem sido a resposta natural às rápidas mudanças produzidas pelo avanço das tecnologias digitais e a sua penetração omnipresente em todos os segmentos da sociedade.

Tanto para governos como para empresas, a transformação digital pode melhorar medidas contemporâneas, tais como custo, competitividade, adaptabilidade à inovação, acesso, qualidade e rapidez.

Para os cidadãos, oferece conveniência, flexibilidade e pode desbloquear novas fontes de oportunidades empresariais e de emprego, conforme aponta o artigo publicado pela LSE

Jamaica mergulhando na Transformação Digital

Consequentemente, pequenos Estados insulares em desenvolvimento (PEID) como a Jamaica, enfrentando desafios de capacidade bem documentados, foram encorajados a acelerar o seu ritmo de transformação digital para desbloquear a competitividade económica, otimizar a utilização de recursos escassos, melhorar a prestação de serviços, estimular novas oportunidades empresariais, bem como melhorar os resultados e a satisfação a todos os níveis de interações sociais.

O governo recebeu uma doação de 650 quilômetros de cabos de fibra ótica de provedores locais de televisão a cabo e das duas principais operadoras de rodovias com pedágio, para ajudar a melhorar a conectividade de banda larga do país.

As operadoras de televisão a cabo incluem os dois maiores provedores de cabo da ilha e 34 pequenos provedores de cabo rurais.

“Os cabos de fibra óptica farão parte do National Fiber Optic Communication Backbone para permitir serviços de dados de alta velocidade entre instalações públicas do governo. Tivemos a sorte de ter uma boa resposta do setor privado, especificamente dos proprietários privados de cabos de fibra óptica”, disse Michael Saunderson, Gerente de Operações, Unidade de Gerenciamento de Tráfego da Agência Nacional de Obras.

Michael Saunderson, Gerente de Operações, Unidade de Gerenciamento de Tráfego da Agência Nacional de Obras

O Sr. Saunderson observou que o trabalho e os testes começaram com o uso dos cabos.

“Começamos a unir os cabos e testamos de Kingston a Santa Cruz com uma largura de banda de 10 gigabits, portanto sabemos que o sistema funciona”, ressaltou.

Emergentes também são tech

Ayanna Samuels é Engenheira Aeroespacial Jamaicana, com mais de 16 anos de experiência como Especialista em Política de Tecnologia e Consultora / Empreendedora em TIC para o Desenvolvimento.

Ela defende o empreendedorismo e o desenvolvimento socioeconômico em economias emergentes usando as Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs), com foco no Caribe. 

Permita que sua paixão se torne seu propósito.

Ayanna Samuels – Engenheira Espacial pelo MIT (Massachusetts Institute Technology)

O Vision 2030 Jamaica, um roteiro estratégico para orientar o país a atingir seus objetivos de desenvolvimento sustentável e prosperidade até 2030,  considera o setor das tecnologias de informação e comunicação (TIC) como desempenhando um papel central na transformação da Jamaica durante as próximas duas décadas, à medida que a nação percorre o caminho de transição para um país desenvolvido.

Ao longo dos últimos anos, o país tem testemunhado uma utilização crescente de computadores e da Internet, uma expansão dramática do número e da gama de fornecedores de telecomunicações e de meios de comunicação e o crescimento das aplicações das TIC nas empresas, escolas e lares. (Fonte: Jamaica Observer – July 15, 2020)

Atração de negócios internacionais

Os avanços que a Jamaica está desenvolvendo para uma economia digital é uma oportunidade de melhorar o posicionamento do país a nível global.

E está atraindo Startups de vários países para impulsionar o processo de digitalização.

Este avanço tecnológico possibilitou também que profissionais de outras nacionalidades tragam conhecimento e expertise para a Jamaica.

Uma prova disto, foi a ação da The Bridge no Chile, e também no Brasil, México, Reino Unido, Colômbia e Portugal na captação de profissionais da América Latina para trabalhar com a Jamaica.

De acordo com Bernardo Carvalho Wertheim, CEO da The Bridge, o trabalho será 100% remoto e com possibilidade de viajar para a Jamaica em junho de 2021.

O executivo disse que uma nova afluência de empregos de transformação digital será realizada.

Os projetos focam em profissionais Agile coach, Mobile, Backend Devs, Chief digital officer, UX, UI entre os principais. 

Trabalhe na

Jamaica

Descubra nossas oportunidades abertas em UX, Tecnologia, Dados e Digital.

Conheça o autor

Peter Howard Wertheim & Dayse Abrantes - International Journalists

peter.howard@thebridge.social dayse.abrantes@thebridge.social Jornalistas Internacionais

Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *