< Notícias & Insights

A transformação digital do setor bancário

Com o passar do tempo, o setor bancário está evoluindo para se adaptar ao comportamento de compra do cliente contemporâneo. Escolher o caminho de aprendizagem dá aos bancos a mentalidade inovadora necessária para se destacar.

Dimensionar a estrutura que sustenta a inovação é a missão do setor bancário. Requer o desenvolvimento de novas estruturas, testes e repetição, mantendo um foco centrado no cliente.

Leia também: Os melhores países da América Latina para contratação de equipes digitais e aumento de equipe

Uma revolução centrada no cliente

75% dos clientes esperam uma experiência consistente em todos os canais que escolherem (Salesforce). Com a ascensão de fintechs que oferecem soluções inovadoras e altamente personalizadas para os clientes, os bancos tradicionais estão correndo para desenvolver soluções de primeira linha para fidelizar clientes e alcançar novos mercados.

O cerne da evolução do setor bancário é a experiência do cliente. A experiência altamente personalizada foi fruto de interações centradas no cliente ao longo do processo de desenvolvimento das soluções.

Leia também: Inclusão financeira na América Latina gera oportunidades de carreira na transformação digital

A evolução dos hábitos de compra

Encomendar qualquer coisa pelo telefone em questão de segundos tornou-se a realidade mais frequente para um percentual significativo de compradores. O tamanho do mercado global de compras online atingiu quase 4 trilhões em 2020 (Business Insider).

A mudança nos hábitos de compra dos clientes foi aumentada com a pandemia. Como 42% dos millennials completam transações de compras online em seus smartphones (Statista), os provedores de serviços financeiros precisavam estar prontos para o boom na demanda por serviços online.

No cenário pós pandemia, a tendência de compras online deve se manter por tempo indeterminado. Prevê-se que as vendas de comércio eletrônico atinjam US $6,5 trilhões até 2023 (Statista), o que indica um terreno fértil para pagamentos on-line e serviços bancários on-line.

Leia também: Evolução do varejo por meio da Aceleração Digital

Abraçando a tecnologia como aliada

Para construir uma estrutura consistente para entregar as soluções digitais que os clientes desejam, a tecnologia tem um papel fundamental. O setor bancário está usando algumas estratégias para acompanhar as fintechs, usando sua experiência e marcas fortes para personalizar o atendimento aos clientes e entregar uma ótima experiência ao usuário. 

Confira algumas das estratégias utilizadas por grandes players do setor financeiro latino-americano:

Laboratórios de Inovação

O Banco de Crédito do Peru (BCP) apresentou uma estratégia de inovação “figital”: dividiu a estrutura em duas: um Lab Agency e um Laboratory. O conceito vem da necessidade de testar novas abordagens na Agência Lab para melhorar a satisfação do cliente (Gestión).

O BCP está a desafiar a norma da banca tradicional ao co-criar um novo tipo de agência. Com o objetivo de criar a melhor experiência híbrida para os clientes. Dosando canais digitais e físicos, o BCP está testando novas soluções em seu Laboratório, que fica no prédio ao lado de seu Laboratório de Agência Experimental (Newsbizzer).

Parcerias estratégicas

Para oferecer os melhores produtos aos clientes, o Banco Popular tem investido na inovação e na aproximação com fintechs e parcerias estratégicas. 

O banco firmou parceria com a Fintech IMPESA Costa Rica e VISA, criando o Monibyte, aplicativo que permite aos clientes autogerenciar suas contas sem a necessidade de ir ao banco (Periódico Mensaje). 

O resultado da modernização foi um aumento de lucro de 113,4% e um aumento da carteira de clientes de 7,9% em 2018 (La Republica).

Desenvolvendo startups

Criado em 2015 pelo Itaú, em parceria com a gestora de venture capital Redpoint, o Cubo possui uma rede de 475 startups.

A receita das startups abrigadas pelo Cubo, hub de inovação do Itaú Unibanco, atingiu R$ 4,4 bilhões em 2020, um crescimento de 1,552% em relação ao ano anterior, pois os efeitos da pandemia de COVID-19 impulsionaram a demanda por soluções digitais.

De acordo com o copresidente da Cubo, Pedro Rodrigues, destacaram-se as startups de serviços de saúde, especialmente aquelas com soluções de telemedicina. As startups voltadas para o varejo – como e-commerce, logística e mobilidade e finanças – também tiveram faturamento recorde. (Laboratórios Notícias).

Talentos para fomentar a transformação digital

O setor bancário está cada dia mais centrado no cliente, para oferecer os melhores produtos e serviços ao público. Essa tendência leva à necessidade de uma transformação digital nas estruturas, expertise e foco de negócios dos bancos tradicionais.

Isso significa que há uma grande demanda por profissionais perfeitos para fazer parte da transformação. Talentos com mentalidade inovadora, habilidades em TI, Design e Digital e boa comunicação em inglês são os favoritos das grandes agências bancárias.

Se você se vê trabalhando em um vibrante laboratório de inovação, ou tem o desejo de ajudar as pessoas a terem a melhor experiência usando o banco por meio de seus telefones, que tal conferir nossas oportunidades? Somente clique aqui para saber quais vagas estão em alta no The Bridge.

Conheça o autor

Ana Luiza Magalhães
Ana Luiza Magalhães

Fale comigo
Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *